sexta, 17/11/2017

Reformas trabalhista e previdenciária marcaram o segundo dia da Plenária da FITES no Piauí Teresina (PI), 26/08/2017

fites26No segundo dia da Plenária Ordinária Nacional da Federação Nacional dos Trabalhadores em Entidades Sindicais (FITES), que está acontecendo nos dias 25 e 26 de agosto de 2017, em Teresina-PI, os debates foram voltados para as reformas trabalhista e previdenciária, o mote de ataque do governo golpista de Michel Temer.
 
No primeiro momento das discussões, o jurista Carlos Chagas abordou a reforma trabalhista e mostrou de uma forma bem didática as mudanças que deverão acontecer a partir de novembro deste ano quando começar a vigorar a reforma trabalhista aprovada no Congresso Nacional. Pela análise de Chagas, a reforma trabalhista representa um retrocesso para toda classe trabalhadora. Além de fragilizar as relações de trabalho, coloca o trabalhador sem qualquer suporte assistencial, uma vez que a reforma também vem em ataque ao movimento sindical e a justiça trabalhista como forma de cercar o trabalhador e fortalecer as empresas para que possam explorar os trabalhadores sem discriminação.
 
Sobre a reforma previdenciária, o jurista Décio Lopes analisou ponto a ponto os itens da reforma que atinge a todos sem distinção, e afeta não só ativos mas também mexe com os aposentados, a partir do momento que desvincula o reajuste da aposentadoria do reajuste do salário mínimo, com as pessoas aposentadas por invalidez ou com necessidades especiais.
Destacou a idade mínima de aposentadoria para homens e mulheres, 65 e 62 anos respectivamente, com o mínimo de 25 anos de contribuição. Os trabalhadores rurais terão que contribuir pelo menos por 15 anos, e uma série de agressões para as pessoas que dependem da previdência social. Os números de sonegação e inadimplência junto ao INSS somam quantias que se fossem pagas e cobradas dos grandes empresários e órgãos públicos, por exemplo, não haveria necessidade de um arrocho tão grande na classe mais desfavorecida e nos trabalhadores.
 
No debate sobre conjuntura política, o professor Dr. Vitor Sandes abordou a relação da democracia, os partidos políticos e seus reflexos na sociedade e nos movimentos sociais. Procurou mostrar as relações entre os partidos políticos e o jogo de interesses junto aos projetos votados nas casas legislativas e suas implicações para a sociedade civil.
 
Na plenária final os participantes aprovaram a cidade de Brasília-DF como a próxima sede da Plenária Nacional da FITES, que acontece em Agosto de  2018
 
Por Gleydjane Moura

Webmail
Webmail
Nome:
Senha: