sábado, 15/12/2018

Dia da Consciência Negra: em defesa de direitos e por mais igualdade

A luta contra o preconceito racial e a igualdade de oportunidades ainda é uma das bandeiras mais urgentes da sociedade brasileira. Uma situação derivada dos 300 anos de escravidão com reflexos sentidos até hoje na população negra. Basta verificar que a cada 23 minutos um jovem negro é assassinado no país, segundo dados do Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) os negros têm maiores dificuldades de inserção no mercado de trabalho e quando consegue uma ocupação seus salários são bem menores, cerca de R$ 1.200,00 a menos.

Apesar dos avanços durante os 13 anos do governo popular e democrático de Lula e Dilma, no que tange a distribuição de renda, das políticas públicas e o acesso a educação superior, através do sistema de cotas, Prouni e FIES, muito ainda precisa ser feito para que o Brasil seja uma nação com igualdade de oportunidades para negros e brancos.

A eleição de Bolsonaro, um presidente que foi ao STF contra as cotas nas universidades quando exercia o mandato de deputado federal, que sempre fez declarações preconceituosas contras as populações quilombolas, inclusive sendo alvo de denúncia na Procuradoria Geral da República por racismo, vão exigir ainda mais luta e mobilização de todos e de todas para barrar os possíveis retrocessos representados por esse novo governo formado essencialmente por homens brancos e ricos.

A FITES acredita que o Dia da Consciência Negra, comemorado no dia 20 de novembro, é o momento de comemorar os avanços, mas também para refletir sobre a importância de se mobilizar em defesa de mais direitos e igualdade de oportunidades. dia da consciencia negra em paraty parque hotel pereque 1030x579


Webmail
Webmail
Nome:
Senha: